Que perigos podem estar associados à cirurgia de aumento do peito?

Que perigos podem estar associados à cirurgia de aumento do peito?
Em princípio, qualquer intervenção cirúrgica está associada a riscos. A este respeito, o "factor custo-benefício" deve ser sempre ponderado quando se considera a cirurgia, ou seja, a mamoplastia de aumento só deve ser considerada se o sofrimento psicológico de uma mulher devido à insatisfação com os seus seios for muito forte. No entanto, esta operação não deve ser efectuada sem um aconselhamento intensivo e paciente por parte de um médico competente.

Neste contexto, é necessário distinguir entre "riscos intra-operatórios", que podem ocorrer durante a operação, e "riscos pós-operatórios", que só podem desenvolver-se posteriormente.

Riscos intra-operatórios


As complicações mais frequentes estão, de longe, directamente relacionadas com a anestesia. É também por isso que, antes de cada operação, é necessário falar com o anestesista. Independentemente disso, podem ocorrer as seguintes complicações no decurso de uma mamoplastia de aumento:

  • Lesão das glândulas e dos ductos mamários
    Este risco é muito reduzido com uma incisão axilar e uma incisão na prega do busto. A situação é diferente se os implantes forem colocados através de incisões no mamilo, uma vez que, neste caso, o cirurgião trabalha perto do tecido da glândula mamária. A lesão do tecido glandular pode, entre outras coisas, levar à incapacidade de amamentar.

  • Lesão nervosa
    Se as fibras nervosas forem acidentalmente cortadas, podem ocorrer perturbações sensoriais. No entanto, uma vez que quase não existem vias nervosas centrais na zona do tecido mamário, a irritação ou dormência desaparece ao fim de algum tempo.

  • Lesão dos músculos peitorais
    Se o implante for inserido "subpecoralmente", o músculo peitoral pode ser lesionado. Esta manifesta-se então por uma dor muscular bastante forte, que pode durar até três semanas.

Riscos pós-operatórios


Normalmente, podem ocorrer os seguintes problemas após a operação:
  • Danos nos implantes
  • Infecções
  • Pós-sangramento
  • Cicatrização
  • Deslizamento dos implantes
  • Perturbações da cicatrização de feridas
Por este motivo, é essencial um acompanhamento médico consciencioso e regular. A nicotina, aliás, é extremamente contraproducente para qualquer processo de cicatrização e pode mesmo favorecer a trombose.

Um olhar mais atento a alguns riscos pós-operatórios


  • Hemorragia pós-operatória e hematoma
    Em cerca de três por cento dos casos, ocorre hematoma ou hemorragia pós-operatória após a cirurgia. Esta situação é geralmente evitada com sucesso através de drenagem.
  • Perturbações na cicatrização de feridas ou infecções
    Estatisticamente, ocorre uma infecção em um em cada 100 casos. Estas são tratadas com arrefecimento, pensos para feridas, pensos de pressão desinfectantes e/ou antibióticos.
  • Trombose ou doença de Mondor
    Esta forma rara de complicação pós-operatória caracteriza-se por um endurecimento doloroso, principalmente nas veias próximas da superfície. A dor pode desaparecer ao fim de algumas semanas apenas com um arrefecimento adequado.
  • Problemas estéticos
    Muitas mulheres não ficam satisfeitas com o resultado da cirurgia. Em alguns casos, é necessária uma segunda operação.
  • Estrias à volta dos seios
    Este risco é considerado muito baixo. No entanto, com implantes particularmente grandes, podem aparecer estrias na pele.
  • Assimetria
    Após a operação, pode ocorrer um inchaço num dos lados, mas este geralmente passa após algumas semanas.
  • Cicatrizes
    Algumas mulheres são propensas a quelóides, o que significa cicatrizes excessivas. Para o seu tratamento, são prescritas pomadas especiais. Em casos graves, é necessário efectuar uma dermoabrasão.
  • Bottoming out
    Neste caso, os mamilos ficam relativamente demasiado altos porque os implantes mamários desceram demasiado. Esta situação é mais frequente em mulheres muito magras.
  • Symmastia
    Com implantes particularmente grandes, pode acontecer que ambos os seios se aproximem demasiado um do outro e que a sua linha divisória central praticamente desapareça. Isto requer um novo posicionamento dos implantes.
  • Rippling
    O enrugamento dos implantes é visível e tangível. É causado pelo enrugamento dos implantes mamários. Este risco é ligeiramente maior nas mulheres que têm apenas um manto de pele muito fino na zona do peito. Para corrigir este problema, pode ser transplantada gordura autóloga ou o implante pode ser substituído.
  • Dupla bolha
    Se os implantes forem demasiado largos, surgem contornos mamários duplos. A prega mamária deixa então de ser suficiente para a evasão e os implantes empurram-se para o lado e para a frente.
  • Rotação ou deslocação
    Isto pode acontecer se os implantes tiverem sido mal colocados nas bolsas de implantes preparadas ou se as bolsas de implantes não forem suficientemente estáveis.
  • Deformidade em cascata
    Pode ocorrer com tecido mamário particularmente fraco. A pele não consegue segurar o implante "demasiado pesado" e descaí para baixo.
  • Fibrose capsular
    Esta consequência comum da mamoplastia de aumento ocorre em até 15 por cento das pacientes no primeiro ano após a operação. No pior dos casos, o implante tem de ser removido. A causa é a reacção contrária do próprio corpo ao corpo estranho. Isto resulta num encapsulamento espesso, que se contrai um pouco mais tarde, deformando significativamente o implante.

A mamoplastia de aumento com gordura autóloga pode dar origem a quistos de óleo. O tecido adiposo morto pode endurecer consideravelmente devido à calcificação ou as células adiposas são decompostas de forma desigual, o que pode levar a assimetrias.

O aumento do peito também é possível sem cirurgia


Se estiver satisfeita com um aumento de apenas um tamanho de copa, deve experimentar primeiro o aumento do peito de acordo com uma patente de "Secret Curves" em vez de cirurgia.

Trata-se de um complexo de construção natural de ingredientes puramente à base de plantas que servem o peito feminino como um "alimento de construção". O sistema NBE12 com tecnologia CupUp é baseado exclusivamente em produtos naturais e não tem efeitos secundários. Além disso, está provado que é totalmente compatível com a pílula. O produto é administrado sob a forma de creme ou de cápsulas vegetais.

Que perigos podem estar associados à cirurgia de aumento do peito?

                            Jeder chirurgische Eingriff ist vom Grundsatz her mit Risiken verbunden. Insofern ist bei einer OP stets der „Kosten-Nutzen-Faktor“ abzuwägen, soll heißen, nur wenn der psychische Leidensdruck einer Frau aufgrund der Unzufriedenheit mit ihrer Brust sehr stark ist, sollte eine Brustvergrößerung in Erwägung gezogen werden. Ohne eine intensive und geduldige Beratung durch einen kompetenten Arzt sollte ein solches Unterfangen aber nicht in Angriff genommen werden.  

Zu unterscheiden sind in diesem Zusammenhang „intraoperative Risiken“, die während der Operation auftreten können, und „postoperative Risiken“, die sich erst danach entwickeln können.

<h2>Intraoperative Risiken</h2>
Die weitaus häufigsten Komplikationen stehen in einem direkten Zusammenhang mit der Narkose. Das ist auch der Grund dafür, dass vor jeder OP ein Gespräch mit dem Anästhesisten stattfinden muss. Unabhängig davon können im Zuge der Brustvergrößerung folgende Komplikationen auftreten:

<ul><li>Verletzung der <strong>Milchdrüsen</strong> und <strong>Milchgänge</strong>
Dieses Risiko ist beim Achselschnitt sowie beim Unterbrustfaltenschnitt sehr gering. Anders verhält es sich, wenn die Implantate via Brustwarzenschnitte eingebracht werden sollen, da der Chirurg in diesem Fall dicht am Milchdrüsengewebe hantiert. Eine Verletzung des Drüsengewebes kann unter anderem zur Stillunfähigkeit führen.</li>

<li><strong>Nervenverletzung</strong>
Werden versehentlich Nervenfasern durchtrennt, kann es zu Sensibilitätsstörungen kommen. Da es aber im Bereich des Brustgewebes kaum zentrale Nervenbahnen gibt, lassen die Irritationen oder Taubheitsgefühle nach einiger Zeit wieder nach.</li>

<li>Verletzung der <strong>Brustmuskeln</strong>
Wird das Implantat „subpecoral“ eingesetzt, kann es passieren, dass dabei der Brustmuskel verletzt wird. Das äußert sich dann wie ein recht starker Muskelkater, der durchaus mal drei Wochen lang bestehen kann.</li></ul>
<h2>Postoperative Risiken</h2>
Typischerweise kann es nach der OP zu folgenden Problemen kommen:
<ul><li>Beschädigung der Implantate</li>
<li>Infektionen</li>
<li>Nachblutungen</li>
<li>Narbenbildung</li>
<li>Verrutschen der Implantate</li>
<li>Wundheilungsstörungen</li></ul>
<i>Aus diesem Grunde ist eine gewissenhafte, regelmäßige Nachkontrolle durch den Arzt unerlässlich. Nikotin ist übrigens für jeden Heilungsprozess ausgesprochen kontraproduktiv und kann sogar eine Thrombose befördern.</i>

<h3>Genauere Betrachtung einiger postoperativer Risiken</h3>
<ul><li>Nachblutungen und Blutergüsse
In ungefähr drei Prozent der Fälle kommt es nach einer OP zu Blutergüssen oder Nachblutungen. Dem wird im Allgemeinen durch eine Drainage erfolgreich vorgebeugt.</li>
<li>Störungen bei der Wundheilung oder Infektionen
Zu einer Infektion kommt es statistisch in einem von 100 Fällen. Behandelt werden diese mit Kühlungen, Wundpflaster, desinfizierende Druckverbände und/oder Antibiotika.</li>
<li>Thrombose beziehungsweise Morbus Mondor
Bemerkbar macht sich diese seltene Form der postoperativen Komplikation durch schmerzhafte Verhärtungen vornehmlich in oberflächennahen Venen. Allein durch sachgemäße Kühlung können die Schmerzen nach wenigen Wochen verschwinden.</li>
<li>Ästhetische Probleme
Viele Frauen sind mit dem Ergebnis der OP nicht zufrieden. In manchen Fällen wird daher eine zweite Operation nötig.</li>
<li>Dehnungsstreifen im Bereich der Brüste
Dieses Risiko wird als sehr gering eingestuft. Bei besonders großen Implantaten können sich aber Dehnungsstreifen auf der Haut abzeichnen.</li>
<li>Asymmetrie
Nach der OP kann es zu eher einseitigen Schwellungen kommen, die aber in aller Regel nach ein paar Wochen vorübergehen.</li>
<li>Narbenbildung
Einige Frauen neigen zu Keloiden, womit eine überschießende Narbenbildung gemeint ist. Zu deren Behandlung werden spezielle Salben verschrieben. In schweren Fällen muss eine Dermabrasion durchgeführt werden.</li>
<li>Bottoming out
In diesem Fall sitzen die Brustwarzen relativ zu hoch, weil die Brustimplantate zu tief nach unten gekommen sind. Dies kommt eher mal bei sehr schlanken Frauen vor.</li>
<li>Symmastie
Bei besonders großen Implantaten kann es passieren, dass beide Brüste zu stark zusammenrücken und ihre mittlere Trennlinie praktisch verschwindet. Dies erfordert eine neue Positionierung der Implantate.</li>
<li>Rippling
Die Implantatfältelung ist sichtbar und fühlbar. Die Ursache ist eine Faltenbildung auf den Brustimplantaten. Ein etwas erhöhtes Risiko dafür besteht bei Frauen, die nur über einen sehr dünnen Weichteilmantel der Haut im Bereich der Brust verfügen. Um dieses Problem zu beheben, kann Eigenfett transplantiert oder das Implantat ausgetauscht werden.</li>
<li>Double Bubble
Bei zu breit gewählten Implantaten entstehen doppelte Brustkonturen. Die Brustfalte reicht dann zum Ausweichen nicht mehr aus und die Implantate drängeln sich zur Seite und nach vorne.</li>
<li>Rotation oder Dislokation
So etwas kann passieren, wenn die Implantate in den vorbereiteten Implantattaschen schlecht platziert wurden oder die Implantattaschen nicht ausreichend stabil sind.</li>
<li>Waterfall Deformity
Sie kann bei besonders schwachem Brustgewebe auftreten. Die Haut kann das „zu schwere“ Implantat nicht halten und sackt nach unten aus.</li>
<li>Kapselfibrose
Bei bis zu 15 Prozent der Patientinnen tritt diese häufige Folge einer Brustvergrößerung innerhalb des ersten Jahres nach der OP auf. Im schlechtesten Fall muss das Implantat dann wieder entfernt werden. Die Ursache ist eine körpereigene Gegenreaktion auf den Fremdkörper. Dabei kommt es zu einer verdickten Verkapselung, welche sich etwas später zusammenzieht, wodurch das Implantat deutlich deformiert wird.</li></ul>
Bei Brustvergrößerungen mit Eigenfett kann es zu Ölzysten kommen. Abgestorbenes Fettgewebe kann sich durch Verkalkung stark verhärten oder es werden Fettzellen ungleichmäßig abgebaut, was zu Asymmetrien führen kann.

<h2>Brustvergrößerung geht auch ohne OP</h2>
Wenn Du Dich mit dem Zuwachs von nur einer Körbchengröße zufriedengeben kannst, solltest Du anstelle einer Operation erst einmal die Brustvergrößerung nach einem Patent von „Secret Curves“ probieren.

Hierbei geht es um einen natürlichen Aufbaukomplex aus rein pflanzlichen Inhaltsstoffen, die der weiblichen Brust wie eine „Aufbaunahrung“ dienen. Das NBE12-System mit CupUp Technologie basiert ausschließlich auf Naturprodukten und hat keinerlei Nebenwirkungen. Auch die uneingeschränkte Verträglichkeit mit der Pille wurde nachgewiesen. Verabreicht wird das Produkt in Form von Creme oder Veggi Kapseln.

Que perigos podem estar associados à cirurgia de aumento do peito?
Em princípio, qualquer intervenção cirúrgica está associada a riscos. A este respeito, o "factor custo-benefício" deve ser sempre ponderado quando se considera a cirurgia, ou seja, a mamoplastia de aumento só deve ser considerada se o sofrimento psicológico de uma mulher devido à insatisfação com os seus seios for muito forte. No entanto, esta operação não deve ser efectuada sem um aconselhamento intensivo e paciente por parte de um médico competente.

Neste contexto, é necessário distinguir entre "riscos intra-operatórios", que podem ocorrer durante a operação, e "riscos pós-operatórios", que só podem desenvolver-se posteriormente.

Riscos intra-operatórios


As complicações mais frequentes estão, de longe, directamente relacionadas com a anestesia. É também por isso que, antes de cada operação, é necessário falar com o anestesista. Independentemente disso, podem ocorrer as seguintes complicações no decurso de uma mamoplastia de aumento:

  • Lesão das glândulas e dos ductos mamários
    Este risco é muito reduzido com uma incisão axilar e uma incisão na prega do busto. A situação é diferente se os implantes forem colocados através de incisões no mamilo, uma vez que, neste caso, o cirurgião trabalha perto do tecido da glândula mamária. A lesão do tecido glandular pode, entre outras coisas, levar à incapacidade de amamentar.

  • Lesão nervosa
    Se as fibras nervosas forem acidentalmente cortadas, podem ocorrer perturbações sensoriais. No entanto, uma vez que quase não existem vias nervosas centrais na zona do tecido mamário, a irritação ou dormência desaparece ao fim de algum tempo.

  • Lesão dos músculos peitorais
    Se o implante for inserido "subpecoralmente", o músculo peitoral pode ser lesionado. Esta manifesta-se então por uma dor muscular bastante forte, que pode durar até três semanas.

Riscos pós-operatórios


Normalmente, podem ocorrer os seguintes problemas após a operação:
  • Danos nos implantes
  • Infecções
  • Pós-sangramento
  • Cicatrização
  • Deslizamento dos implantes
  • Perturbações da cicatrização de feridas
Por este motivo, é essencial um acompanhamento médico consciencioso e regular. A nicotina, aliás, é extremamente contraproducente para qualquer processo de cicatrização e pode mesmo favorecer a trombose.

Um olhar mais atento a alguns riscos pós-operatórios


  • Hemorragia pós-operatória e hematoma
    Em cerca de três por cento dos casos, ocorre hematoma ou hemorragia pós-operatória após a cirurgia. Esta situação é geralmente evitada com sucesso através de drenagem.
  • Perturbações na cicatrização de feridas ou infecções
    Estatisticamente, ocorre uma infecção em um em cada 100 casos. Estas são tratadas com arrefecimento, pensos para feridas, pensos de pressão desinfectantes e/ou antibióticos.
  • Trombose ou doença de Mondor
    Esta forma rara de complicação pós-operatória caracteriza-se por um endurecimento doloroso, principalmente nas veias próximas da superfície. A dor pode desaparecer ao fim de algumas semanas apenas com um arrefecimento adequado.
  • Problemas estéticos
    Muitas mulheres não ficam satisfeitas com o resultado da cirurgia. Em alguns casos, é necessária uma segunda operação.
  • Estrias à volta dos seios
    Este risco é considerado muito baixo. No entanto, com implantes particularmente grandes, podem aparecer estrias na pele.
  • Assimetria
    Após a operação, pode ocorrer um inchaço num dos lados, mas este geralmente passa após algumas semanas.
  • Cicatrizes
    Algumas mulheres são propensas a quelóides, o que significa cicatrizes excessivas. Para o seu tratamento, são prescritas pomadas especiais. Em casos graves, é necessário efectuar uma dermoabrasão.
  • Bottoming out
    Neste caso, os mamilos ficam relativamente demasiado altos porque os implantes mamários desceram demasiado. Esta situação é mais frequente em mulheres muito magras.
  • Symmastia
    Com implantes particularmente grandes, pode acontecer que ambos os seios se aproximem demasiado um do outro e que a sua linha divisória central praticamente desapareça. Isto requer um novo posicionamento dos implantes.
  • Rippling
    O enrugamento dos implantes é visível e tangível. É causado pelo enrugamento dos implantes mamários. Este risco é ligeiramente maior nas mulheres que têm apenas um manto de pele muito fino na zona do peito. Para corrigir este problema, pode ser transplantada gordura autóloga ou o implante pode ser substituído.
  • Dupla bolha
    Se os implantes forem demasiado largos, surgem contornos mamários duplos. A prega mamária deixa então de ser suficiente para a evasão e os implantes empurram-se para o lado e para a frente.
  • Rotação ou deslocação
    Isto pode acontecer se os implantes tiverem sido mal colocados nas bolsas de implantes preparadas ou se as bolsas de implantes não forem suficientemente estáveis.
  • Deformidade em cascata
    Pode ocorrer com tecido mamário particularmente fraco. A pele não consegue segurar o implante "demasiado pesado" e descaí para baixo.
  • Fibrose capsular
    Esta consequência comum da mamoplastia de aumento ocorre em até 15 por cento das pacientes no primeiro ano após a operação. No pior dos casos, o implante tem de ser removido. A causa é a reacção contrária do próprio corpo ao corpo estranho. Isto resulta num encapsulamento espesso, que se contrai um pouco mais tarde, deformando significativamente o implante.

A mamoplastia de aumento com gordura autóloga pode dar origem a quistos de óleo. O tecido adiposo morto pode endurecer consideravelmente devido à calcificação ou as células adiposas são decompostas de forma desigual, o que pode levar a assimetrias.

O aumento do peito também é possível sem cirurgia


Se estiver satisfeita com um aumento de apenas um tamanho de copa, deve experimentar primeiro o aumento do peito de acordo com uma patente de "Secret Curves" em vez de cirurgia.

Trata-se de um complexo de construção natural de ingredientes puramente à base de plantas que servem o peito feminino como um "alimento de construção". O sistema NBE12 com tecnologia CupUp é baseado exclusivamente em produtos naturais e não tem efeitos secundários. Além disso, está provado que é totalmente compatível com a pílula. O produto é administrado sob a forma de creme ou de cápsulas vegetais.
escreve um comentário

Os comentários são atualmente moderados

O teu endereço de e-mail não é visível publicamente

Blogues relacionados